Quinta em Outra Língua: The Key to the Golden Firebird

{O Quinta em outra língua é um meme criado por este blog para fazer resenhas ou comentar sobre lançamentos de livros estrangeiros às quintas-feiras. Todo blog pode participar - saiba mais aqui!}

*

"The funny thing about stop signs is that they're also start signs.”

Resenha:
A Maureen Johnson é aquela autora que eu já admirava antes de ter lido qualquer livro dela — como aconteceu com o John Green. A Dayse Dantas, uma das blogueiras do NUPE, é super fã dela, indicou The Key to the Golden Firebird, o primeiro livro que ela lançou e que não é tão conhecido. Ela disse que esse livro era uma mistura de John Green com Sarah Dessen, então OH MY GOD como não ler, sendo que a Sarah Dessen e o John Green são dois dos meus autores favoritos?!

E eu não me arrependi. O livro conta a história das três irmãs Gold, Brooks, May e Palmer, e se inicia numa tarde ensolarada fatídica em que elas chegam em casa e encontraram uma comoção na frente de sua casa: ambulâncias, vizinhos. O pai delas havia falecido dentro do carro, um Firebird dourado, ao chegar em casa.

May não se lembra de muita coisa desse dia, porque desde então sua vida mudou drasticamente.  E, após um ano, ela ainda continua cuidando de suas irmãs, tentando manter a família nos eixos, porque sua mãe está muito ocupada trabalhando em vários turnos no hospital. Mas ela continua tão perdida quanto naquele dia, sozinha e desanimada. Sua irmã mais velha, Brooks, não ajuda nos trabalhos domésticos, e desde que começou a namorar Dave Vaticon, tem chegado cada vez mais tarde e mais bêbada em casa. Palmer, a mais nova, não tem vontade de fazer nada, além de jogar softball e ver TV, sem contar os ataques de pânico estão cada vez mais frequentes.

A história, contada em terceira pessoa, foca mais em May, uma menina de 16 anos, estudiosa e dedicada, mas que não consegue tirar a tristeza do seu caminho. Ela se sente responsável pelas irmãs, ao mesmo tempo que sente a injustiça de ter que carregar as duas no ombro quando ambas estão se divertindo. Sua mãe conta com ela para tudo, e quando ela falha no teste de direção, May se sente frustrada. E aí que entra em cena Peter, o vizinho de May, que antigamente era o menino irritante que vivia implicando com May, passou a ser um desconhecido, mas vai assumir um grande — e decisivo — papel na vida de May.

Peter ajuda May a aprender a dirigir, mas na realidade faz muito mais do que isso: ele se torna uma companhia, um amigo, algo que May tanto precisava. Ela só não contava que ele iria se interessar pela sua chefe da cafeteria em que trabalha, uma garota mais velha, e nem o quanto isso a abalaria... E quando tudo parece realmente um caos na sua vida, May e suas irmãs descobrem que, talvez, a chave para a solução de seus problemas é a mesma que de alguma forma estava ligada ao dia em que tudo começou a desmoronar...

O que eu posso dizer desse livro? Para quem gosta de YA contemporâneo, ou seja, que não envolve fantasia e sim problemas cotidianos, este livro é um must read. Como eu amo YA contemporâneo, eu AMEI esse livro! Muito bem escrito e de fato me lembrou bastante da Sarah Dessen e do John Green, mas ao mesmo tempo é um livro único... Mesmo com um enredo simples, eu me pegava ansiosa e querendo saber como a May ficaria no final e o que aconteceria com o relacionamento dela com as irmãs bem como com o Peter. E o final foi tão bom, tão tão fofo e deixou aquela sensação genuína de felicidade e contentamento que ultimamente está cada mais vez difícil de se encontrar nos livros. Leitura mais do que recomendada!

5/5

Skoob: adicione.
Nível de inglês: fácil

10 comentários:

  1. Que capa linda, e a história parece encantadora e doce, awwwn, eu queeeero ler *-* Amei a resenha!
    E tenho que concordar contigo, Giu, ultimamente está difícil de encontrar livros que nos tragam essa "sensação genuína de felicidade e contentamento" ):

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  2. Nossa! Que legal. Não conhecia, bem que você falou que não é tão conhecido, mas fiquei super interessada.
    Pena que não sei ler inglês. Que coisa!

    Beijos,
    Mandi - Book and Cupcake.

    ResponderExcluir
  3. Giu,

    Acho muito bacana você indicar livros internacionais para seus leitores. Particularmente falando, a única coisa que me reprime para lê-los são as compras internacionais que demoraaaaam muito para chegar. Sou ansiosa, demais.

    Pela sua resenha, deu para notar que é um livro meigo, sutil. E nada como essa sensação, ao final, de que você leu algo que te fez bem, que te fez sorrir e pensar um pouquinho sobre a vida. Tenho certeza de que um livro é bom quando ele me marca :)

    Beijinhos,
    Ana - Na Parede do Quarto

    ResponderExcluir
  4. adoro esse meme do blog:D ja peguei varias dicas de livros internacionais, e vou falir se continuar lendo suas resenhas HAHA (:
    mais um pra lista, com certeza

    ResponderExcluir
  5. Quero muito ler um livro da Maureen Johnson. Vi alguém no Nupe (possivelmente a famosa Dayse) comentando esta autora e aí fui pesquisar mais e fiquei super curiosa pra ler um livro dela.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. eu tenho tanto orgulho desse livro! ele é um livro comum de YA, non literary, que foi lançado antes de YA explodir. E é genuinamente bom. É interessante, engraçado, bem escrito, com enredo acreditável. Tipo, muito orgulho desse livro. Muito orgulho que a Maureen conseguiu alcançar isso no primeiro livro. E apesar de o final ser lindo e bom, é ainda um final não definitivo, you know? CHEIO DE POSSIBILIDADES. Eu me identifico muito com esse livro, porque é um livro sobre irmãs. Eu e as minhas irmãos não somos exatamente como as irmãs Gold, cada uma tem um pouco de cada, acho. Mas o relacionamento, tipo, dá total para projetar. Eu sou MUITO apegada às minhas irmãs, e gosto de livros que focam nesse relacionamento. Se você parar pra pensar, não tem muitos assim.
    OH WELL. AMO AMO AMO ESSE LIVRO E AMO AMO AMO O FATO DE VC TER AMADO TBM!

    ResponderExcluir
  8. eu ADORO quando os autores conseguem transformar uma estória "ordinária" em algo legal. todo escritor devia ter essa capacidade ahha
    beijos!

    ResponderExcluir
  9. Muito legal a resenha Giu, vou anotar o nome desse livro pra quando eu criar coragem de tentar ler em inglês haha Adorei a capa *-*

    Beijos, Bi
    http://behindenemyline8.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Gostei bastante da resenha
    E tambem amei a indicação do livro, vou anotar

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...