Quinta em Outra Língua: Lendo em Inglês

{O Quinta em Outra Língua é um meme criado por este blog para fazer resenhas ou comentar sobre lançamentos de livros estrangeiros às quintas-feiras. Todo blog pode participar - saiba mais aqui!}

*
Hoje o QeOL é um pouco diferente... comentei no twitter que estava pensando em fazer um post com dicas para quem está começando a se aventurar nos livros em inglês ou quem gostaria e recebi várias mentions me apoiando. Espero ter ajudado! :)

1. Comece por um livro de um autor que você já tenha lido em português, pois você já está familiarizado com seu estilo, facilitando a leitura.

2. Dê preferência aos livros com nível de inglês fácil*, só depois de conseguir mais confiança, passe para um nível mediano.

3. NÃO fique parando a leitura de 5 em 5 segundos para checar cada palavrinha no dicionário. Isso só torna a leitura cansativa e muito parecida com tarefa de casa. Cheque apenas aquelas que são cruciais para o entendimento da história - você vai se surpreender com o tanto que você vai entender do texto se não ficar se preocupando toda hora com significados. Confie em mim, é capaz até de você descobrir o significado dela pelo texto. ;)

4. Urban Dictionary (): algumas palavras/expressões não estão no dicionário comum, sempre entre para descobrir o que aquela gíria ou sigla quer dizer... quantas vezes não usei esse site!

5. Leia. Só leia. Sem reclamar, ou ficar com medo ou - pior de tudo - ficar adiando. Ler em inglês pode não ser tão fácil no começo, mas não existe mágica. Só há uma maneira de se acostumar: lendo.

*Algumas indicações de livros com nível fácil:




40 comentários

Clube do Livro - Ribeirão Preto e Região



Então.....

Não sei nem por onde começar. Mas acho que convidando quem mora em RP ou na região para participar seria um bom começo, né?! :) Como vocês viram no convite acima, começa umas seis e meia (mas pode chegar mais tarde!) e o livro discutido vai ser O Céu Está em Todo Lugar!


+ 2 kits serão sorteados entre os participantes!

Feito o convite, queria contar a história desse clube. Eu sempre quis participar de um, e aqui em RP não tem muitos eventos literários, com certeza deve existir um clube do livro, mas eu queria participar de um que falasse sobre os livros que a gente tá acostumado a ler, então por que não criar um? Dãã. O problema era que eu nem sabia por onde começar. Mas com a ajuda da Editora Novo Conceito e da Livraria Paraler, assim como o apoio do Danilo, da Priscila Braga e do Will, conseguimos finalmente montar o clube. Eu nunca vou conseguir agradecer a todos vocês o bastante! 

Mas (há sempre um "mas", em qualquer história) houve uma mudança nos planos e o primeiro encontro do CdL foi transferido para um dia de semana e infelizmente o Danilo não vai poder participar desse encontro. Por isso eu gostaria muito da opinião de vocês, mesmo quem não mora em RP : vocês preferem eventos literários desse tipo em dia de semana ou fim de semana? Porque como é o primeiro encontro, tudo é novo e tudo PODE ser MUDADO. Como eu não sei muito bem o que funciona melhor, eu arrisquei esse dia, vamos ver como vai ser..

Só mais uma coisa: a gente queria um título melhor pro CdL! Quem quiser sugerir nos comentários, seria muito bem vindo. O escolhido ganhará o livro! (SIM!! Só awesomeness nesse post! E qualquer pessoa pode sugerir quantas vezes quiser, basta apenas seguir o blog!)

Eu estou tão feliz que o primeiro passo já foi dado, porque o mais difícil é tomar a decisão, né? É sempre a parte mais difícil. :)









7 comentários

Resultado do sorteio de "O Céu Está em Todo Lugar"

E a ganhadora foi....



Geovanna Ferreira

YAYAYAYAYAY! Parabéns! :D


Mande o seu endereço para giu.fernandes@hotmail.com em até 3 dias!!




2 comentários

Quinta em outra língua: Brightly Woven

{O Quinta em outra língua é um meme criado por este blog para fazer resenhas ou comentar sobre lançamentos de livros estrangeiros às quintas-feiras. Todo blog pode participar - saiba mais aqui!}

*

Existem vários livros por aí que não recebem a atenção que mereciam e Brightly Woven é um deles!


Sydelle: "Red and red?" North: "My favorite color."

Resenha:
Quando eu li a sinopse desse livro, eu fiquei meio "hmm, não parece ser tão legal", mas aí eu li tantas resenhas positivas sobre esse livro que eu decidi comprá-lo! E eu posso dizer que não me arrependi em nada, o livro é FANTÁSTICO!

Brightly Woven é narrado por Sydelle, uma menina de cabelos ruivos que mora em Cliffon, uma pequena cidade na fronteira de seu país, Palmarta. É uma cidade assolada pela seca de anos. Mas essa situação muda quando um mago chega a cidade e traz a chuva com ele. Para agradecê-lo, o líder da cidade, que é o pai de Sydelle, diz que o mago pode pedir o que quiser, que ele o terá. Wayland North, o mago, escolhe levar Sydelle consigo até a capital, Provincia, como sua assistente, pois ele garante ter informações para impedir a guerra que acontecerá em dois meses entre Palmarta e os países vizinhos.
Por mais que Sydelle sempre tenha desejado sair de sua cidade e conhecer o mundo, não era assim que ela esperava. A personalidade de North é, na maioria das vezes, fechada e séria e raras são às vezes que seu lado divertido e bem humorado aparece. O que faz Sydelle desconfiar que North tem mais segredos do que ela imaginava.

É em uma viagem através do país que Sydelle narra uma história MUITO interessante, diferente, engraçada, às vezes triste, com suspense, descobertas e uma história de amor linda, linda, linda! O título, que no começo eu não não entendi o motivo, faz muito sentido a medida que a leitura avança...

Ninguém sabia o motivo que levou North a escolher Sydelle, mas eu nunca teria adivinhado.. tem algo a ver com o título do livro e com o segredo de North. O motivo que faz o humor de North mudar tanto, a ponto de às vezes parecer que ele é meio bipolar, também é surpresa muuito inesperada. Essa é definitivamente uma história muito bem elaborada!

Nem preciso dizer que o North me conquistou, né? O jeito que ele cuida de Sydelle ou como ele se atrapalha na hora de achar direções; como ele é tão corajoso e destemido em alguma situações, mas como em outras ele precisa de apoio... e é a Sydelle quem vai ajudá-lo nessa viagem, tanto para salvar o reino quanto para salvar North de seu destino! A história de amor desse livro é linda - eu já disse isso? :)

"Thank you. You are the only reason I've made it this far." North

Leitura super recomendada!!!

5/5 - 

Skoob: adicione.
Nível de inglês: médio.
Compre: {Book Depository}

 
12 comentários

Resenha: Julieta Imortal



Resenha:
Julieta Imortal foi uma surpresa para mim, juro que comecei a ler sem muitas expectativas, mas WHOA. Eu ADOREI esse livro! O primeiro capítulo foi tão bem escrito, tão interessante e tão tão tão bonito que me conquistou na hora.. e o resto do livro é tão bom quanto!!

Julieta Caput, a famosa Julieta de Shakespeare, não se matou. Não, ela foi assassinada. Por Romeu, seu grande amor, que, guiado pela vontade de se tornar imortal, tirou a vida de Julieta. O que ele não previa era que, como ele, Julieta também se tornaria imortal e sua inimiga, pois ela havia se tornado uma agente dos Embassadores da Luz, enquanto ele havia se tornado um agente do Mercenários, que deveria fazer de tudo para que duas almas gêmeas NÃO ficassem juntas... enquanto Julieta deveria fazer exatamente o contrário.

Mas e a história de Shakespeare?, você deve estar se perguntando. Bom, isso também foi mais uma das mentiras de Romeu. Ele tem o péssimo hábito de mentir.

Assim que Julieta iniciou mais um turno na Terra (sua alma se apossa de um corpo para que ela possa completar sua missão, assim como Romeu), percebeu que alguma coisa estava diferente.. MUITO diferente. Estava fraca, não conseguia falar com sua chefe e as mentiras de Romeu pareciam fazer mais sentindo do que ela gostaria. Afinal, o que ela sabe realmente sobre os Embaixadores da Luz? Será que Romeu estava finalmente lhe dizendo a verdade?

No entanto, Julieta tem mais maiores preocupações. Já não basta ter que cuidar das almas gêmeas, da bagunçada vida de Ariel (a menina em que sua alma está hospedada), ela se apaixona.. JULIETA. SE. APAIXONA. Por um menino que não se chama Romeu. Por menino que é tão fofo que dá vontade de colocá-lo em potinho na cabeceira de mesa. Por um menino que ela nunca, nunca poderia ter se apaixonado. (Mas eu não posso contar o motivo que faz esse romance ser proibido lalala vai ter que ler pra descobrir!)

E Romeu vai fazer tudo que puder para impedir esse romance - mesmo que ele tenha que matá-la. De novo.

Esse livro é tão legal, tão diferente, tão bonito que eu nem sei por onde começar! Afinal, a autora Stacey Jay muda a história mais antiga que nós conhecemos - e funciona tão bem! Romeu é um personagem tão bem construído: ele tem ódio e raiva de todos, mas o final que ele tem – a segunda chance que ele recebe para tentar fazer o bem foi um final satisfatório. Já Julieta... ela é uma personagem tão simpática! Forte e determinada, ela sempre tenta ajudar os outros, fazendo casais felizes, mesmo com todo o rancor que guarda de Romeu. E quando finalmente pensa que vai ser feliz de novo, Juliet vê seu mundo de ponta cabeças por causa de Ben.

Ben. *happy fangirl sigh* Como ele é fofo! As coisas que ele diz e faz por ela, coisas que ela nem sabia que sentia falta, que ela não esperava poder ouvir de novo.. E ele é bem melhor que o Romeu, viu?! BEM melhor!

É como se Romeu e Julieta de Shakespeare fosse uma peça de teatro e a história de Stacey Jay fosse o backstage da peça, onde ficamos sabendo a verdade sobre essa história. Julieta Imortal nos mostra o outro lado, um lado que poderia ter acontecido com Romeu e Julieta. Com um final surpreendente e lindo, esse é um livro tanto para aqueles que sempre adoraram essa história de amor quanto para aqueles que nunca gostaram muito, Juliet Immortal vai conquistar o coração dos leitores! Conquistou o meu! :)

5/5


Skoob: adicione.
Compre: {Saraiva}



*Bônus: Julieta Imortal se passa em Solvang, Califórnia, uma das cidades que eu conheci - é uma cidade tão bonita! Tem até um museu do escritor Hans Christian Andersen (Pequena Sereia, O Patinho Feio, A Princesa e a Ervilha..).


Clique para ampliar!








{Vinhedos que são mencionados váárias vezes no livro - e são cenários de cenas crucias da história!}

17 comentários

Top 10 livros da minha estante!


Vi esse desafio no blog da Lívia, Wishing a Book, e decidi participar!
Quais são os dez livros favoritos da sua estante? :)


P.S.: Quer saber quais são T-O-D-O-S os meus livros favoritos?! Clique aqui!

15 comentários

Quinta em Outra Língua: Stolen

{O Quinta em outra língua é um meme criado por este blog para fazer resenhas ou comentar sobre lançamentos de livros estrangeiros às quintas-feiras. Todo blog pode participar - saiba mais aqui!}

*
"Escrito como uma carta de uma vítima para seu sequestrador, essa é a desperadora história de sobrevivência de Gemma. Ty roubou o corpo dela. Contra todos os instintos gritando dentro dela, ele irá roubar também o coração de Gemma?"


Resenha:
Não tem como começar essa resenha sem falar como esse livro é uma avalanche de emoções: ódio, tristeza, raiva, esperança, solidão, e, apesar de tudo, amor. O livro é uma carta que Gemma escreve para Ty, uma carta de ódio, que aos poucos vira uma carta sobre tudo na vida dela...

Gemma era uma menina que vivia na Inglaterra, até que em uma viagem com seus pais, Ty a sequestra no aeroporto. Ty parece ser um pouco familiar, mas ela não consegue se lembrar da onde ela poderia conhecê-lo.

Ty leva Gemma para o deserto da Austrália, a leva para o meio nada.

Literalmente.

No começo, é impossível não ficar com raiva de Ty, dó da Gem, frustada com toda a situação: por que algém sequestraria uma menina se esse alguém não fosse um doente? O desespero de Gem é quase que insuportável - e, para piorar tudo, o deserto. O infinito deserto, a paisagem desolada que é fundo dessa história, que fez com que várias vezes Gem pensasse se realmente existia mais alguém na Terra além dos dois.

E então, com o passar dos dias, algo muda. Ty começa a ficar mais suave, mais.. humano. O que torna tudo mais difícil, tanto para o leitor quanto para Gemma - porque, afinal, ele a sequestrou! Eu tinha que me lembrar disso toda hora, ele fez uma coisa MUITO ruim para ela - mas por que, ohh, por que ele era tão bom com ela? Por que Ty parecia entender tanto Gem?

Eu não vou falar mais sobre o enredo em si, só para não falar spoilers - mas eu tenho que dizer que esse livro me fez chorar MUITO no final. Eu solucei de tanto chorar. A situação é tão confusa, como eu iria gostar do Ty e sofrer por causa dos dois, depois do que ele fez... mas, por outro lado, Ty não é ruim, ele ajudou a Gem, de uma forma distorcida, mas ela precisava tanto dele quanto ele precisava dela.

Eu achei esse livro maravilhoso, triste, mas lindo! O deserto, tão bem descrito pela autora Lucy, aquela desolação, aquele nada - e, ao mesmo tempo, o deserto era tudo. Tudo que os dois tinham. E a forma como esse livro foi escrito, usando o você para se referir ao Ty foi sensacional! Acho que não teria tanto impacto se tivesse sido de outra maneira! Leiam esse livro com uma mente aberta, sem julgamentos - porque, eventualmente, você se sente na pele da Gem, você se sente tão confusa quanto ela. Livro fantástico!

5/5

Trecho: (não se esqueça que o 'você' usado pela Gemma é para seu sequestrador, Ty)
"É um lugar para desaparecer, você teria dito, um lugar para se perder.. e para ser achado. Eu vou te levar para lá, você teria dito. E eu posso dizer que teria concordado."

Skoob: adicione.
Nível do inglês: médio.
Compre: {Book Depository}

Esse livro será publicado pela Editora iD sem previsão de lançamento.
15 comentários

Resenha: Just Listen - A garota que esconde um segredo

Resenha:
Annabel Greene, depois de ter sido flagrada por Sophie, sua melhor amiga, com seu namorado, Will, a vida de Annabel mudou completamente. Mas se essa fosse a única verdade - o único modo de encarar o que aconteceu naquela noite - o problema e Annabel seria bem mais simples e aguentar ser chamada de vadia por Sophie não seria tão ruim.... mas aquela noite guarda mais segredos do que as pessoas mais próximas de Annabel podem imaginar.

Sozinha na escola, sendo alvo das fofocas, Annabel nunca se sentiu tão mal. E é nesse estado que Owen a encontra um dia - e ele foi a primeira pessoa que lhe estendeu a mão para ajudá-la. Owen Armstrong, o menino com ombros largos, alto e sempre com os fones de ouvido à vista; a última pessoa que ela poderia esperar apoio. Mas é com a ajuda dele, com a sua mania de dizer sempre a verdade e de insistir que ela ouça as músicas mais estranhas que Annabel começa a ouvir a si mesma. Ouvi-la a si mesma sem julgar.

"Não pense nem julgue. Apenas ouça."


E é assim - no meio de sessão de fotos para sua carreira de modelo, que Annabel odeia, os altos e baixos de sua família, os intervalos ao lado de Owen - que Annabel começa a dar pequenos passos para aceitar tudo o que aconteceu com ela, aceitar os dramas de sua família, o distúrbio alimentar de sua irmã, aceitar o passado e, principalmente, uma jornada em que ela aprende a se aceitar. Porque quando só há o silêncio, a única coisa que você irá escutar é a si mesmo.

E isso pode ser ensurdecedor.

Gente. O que eu vou falar desse livro? Eu teria que inventar uma palavra para descrevê-lo - melhor dizendo, para descrever o que os livros da Sarah Dessen fazem comigo.

A história de Annabel é triste, mas é um segredo, e contanto que ninguém saiba, ela pode continuar fingindo ignorar o passado. Mas quanto mais é pressionada por Owen a dizer a verdade, mais fraca fica a fachada que ela construiu. E ela aprende pelo pior caminho que dizer a verdade pode não ser fácil, mas é a única forma de seguir em frente. E é isso que ela faz: ela refaz seus passos, passando por cada acontecimento trágico, por cada amizade despedaçada, por crises familiares, acontecimentos do passado e conflitos, por cada risada, ida ao clube, festa e intervalo, para poder, finalmente, seguir em frente.

Às vezes eu acho que passo a impressão de que is livros dela são só tristeza e sofrimento - mas é bem ao contrário! Tem tanta cena engraçada, a irmã de Owen é uma figura! E o Owen.... Awwwww. Que personagem. Que personagem. Com aquela aparência não-chegue-perto-de-mim, ele é um dos personagens mais reais e cativantes que eu já li. E inesquecível também!

É uma história linda, e mais uma vez a Sarah conquistou meu coração com personagens tão reais que você tem vontade de conhecê-los, virar amigo e ouvir história deles tudo de novo.. porque é exatamente isso que eu queria: que essa história fosse recontada em sussurros em algum canto da minha mente, várias e várias vezes.. :)

5/5 - 


Skoob: adicione.
Compre: {Saraiva} {Fnac}


P.S.: quando terminei esse livro, não consegui parar de pensar na música Hey Jude dos Beatles. Ela se encaixa tão certinho nesse livro que é como se um não existisse sem o outro na minha cabeça. "Hey, Jude, don't make it bad, take a sad song and make it better. And anytime you feel the pain, hey, Jude, refrain, don't carry the world upon your shoulders. You have found her now go and get her, remember to let her into your heart then you can start to make it better."





13 comentários

Se eu pudesse viver em um livro...

 {Esse é um post-resposta para o post da Keris Stainton, autora de Della Says: OMG! Vejam o post dela aqui!}


 Escolher um livro não foi muito fácil... tantos são os livros que eu gostaria de viver, mas quanto mais eu pensava, mais eu tinha certeza de que fazer uma road trip pelos EUA, conhecer tantos lugares e pessoas legais é o que eu mais gostaria de fazer! Então Amy and Roger's Epic Detour foi a minha escolha! Viajar é uma das coisas que eu mais gosto e a viagem da Amy e do Roger (já virei best friends dos dois de tanto que eu já li esse livro) é tipo a minha viagem-sonho! Além de ser divertida e cheia de experiências novas, Amy também aprende muito sobre ela mesma. 

 A palavra viagem para mim representa tanta coisa: lugares novos, novas pessoas que podem se tornar amigos, aprender a se virar um pouquinho e, para mim, é também criar memórias, guardar momentos que você vai se lembrar por muito e muito tempo... :)


E você? Se você pudesse viver em um livro, qual seria? 



*Thanks, Keris, for letting me do a post-response to your post! :)





13 comentários
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...