2011

2011 foi um ano que passou tão rápido em alguns momentos e em câmera lenta em outros. Foi o ano que eu coloquei para trás o meu maior receio, que era o de não passar no vestibular. Eu me lembro até hoje da virada de 2010 para 2011 que eu abracei minha mãe e sussurrei para ela, e para Deus, que o que eu mais queria era passar no vestibular. Eu sei que é uma coisa pequena se comparada a todos outros problemas existentes no mundo, mas naquele momento, naquele novo minuto eu nunca desejei tanto colocar um ano conturbado e turbulento como 2010 para trás.

Mas o ano de 2011 me trouxe tanta coisa boa, muito mais do que eu poderia sonhar: logo em Fevereiro eu consegui uma coisa que eu achei ser impossível — colocar um ponto final na minha primeira história. Ela não ficou boa, de longe é uma história que alguém queira ler, mas é a minha e é a primeira e olhando para trás eu guardo esses dois personagens que protagonizaram uma história meio bobinha de dois amigos de infância que se apaixonam e depois se separam e não sabem o que o futuro lhes reserva.

Depois, em Maio, no aniversário de 50 anos do meu pai, eu finalmente conheci a Califórnia. Oh, se eu não tenho uma pequena (e não muito saudável) obsessão com esse lugar. E uma coisa que eu só fiquei sabendo horas antes de embarcar: nós iríamos fazer uma road trip pela Califórnia. Foi então que eu conheci várias cidades, desde as mais famosas como San Francisco, Los Angeles, Santa Monica e Santa Barbara até as não-tão-conhecidas, como Napa Valley, Pismo Beach e tantas outas. Foram mais de 10 cidades.

E como se não bastasse ter realizado o sonho de ter feito uma road trip, em Junho, dia 30, eu embarquei para Londres, para o meu (primeiro) intercâmbio. Eu ainda consigo me lembrar das lágrimas da minha mãe, que prometeu que não iria chorar; me despedindo do meu pai uma última vez antes que a fila me levasse até o terminal, as minhas próprias lágrimas embaçando minha visão — e fazendo com que eu me sentisse uma idiota por chorar só porque vai ficar um mês longe dos pais. Mas uma idiota feliz. :)

O mês de Julho foi um desses que passou rápido demais, mas cada momento está na minha memória em câmera lenta. É engraçado como eu fiz tanta coisa e me lembro até dos pequenos detalhes; é engraçado como um mês, 30 dias, podem ocupar um espaço tão importante na minha vida. Fiz amigos, conheci várias pessoas, outra cultura, falei inglês — mas não o tanto que eu gostaria — e, principalmente, aprendi a me virar um pouquinho. A ser mais tolerante, mais paciente, mais extrovertida.

E tudo isso durante a faculdade que eu entrei. Conheci várias pessoas lá, me aproximei mais de algumas que já conhecia e aprendi coisas novas. E então Setembro chegou, que é o mês do meu aniversário, que cai na mesma semana de provas, uma semana que já é um pouco estressante e o monstro do ano de 2010, aquele que não me deixava parar de chorar, aquele me deixava insegura e com medo e sem esperança de que eu não fosse conseguir fazer qualquer coisa na minha vida, retornou. Eu não conseguia parar de chorar e posso dizer, não sem arrependimentos, que meu aniversário de 19 anos não foi nada bom.

Mas então Outubro chegou e com ele o monstro foi embora. Eu já comecei a pensar no NaNoWriMo, que era como um daqueles potes que guardam tudo do melhor. Era em Novembro que eu iria escrever 1667 palavras por dia para que, no final do mês, uma história de 50 mil palavras estivesse pronta. No such luck, mas não tem problema. Aliás, não teve problema algum. Eu estudei bastante em Outubro, o que me rendeu férias sem exame, mas Novembro é mês de prova e… é. Nem com mágica eu conseguirira.

Foi durante esse período que eu comecei a montar o Clube do Livro Jovem de RP, junto com a Priscila Braga, Paraler e Editora Novo Conceito. Todo mundo que me ajudou com esse clube, eu não tenho nem palavras para agradecer. Foi outro sonho que se realizou e não foi com a ajuda de poucos. E foi por causa dele que a Pri, que eu já conhecia faz um tempinho, entrou na minha vida pra ficar! Ela se tornou uma amiga que eu estimo e valorizo até o fim, é daquelas que sabe até o seu lanche favorito do Mc!

Fora isso, 2011 também foi o ano em que comecei a trabalhar como Leitora Crítica — sabe aquelas pessoas que leem manuscritos em inglês, fazem um parecer e enviam para a editora? ENTÃO! Imaginem o quão feliz eu fiquei por trabalhar para uma editora tão querida, avaliando possíveis lançamentos? É muito, muito, muito bom! Sem contar o convite para ser uma das colunistas/blogueiras do site de uma revista, Revide Vip. Esse foi uma das notícias que requer uma dancinha feliz, né?!

E agora Dezembro está acabando e a notícia de que eu ganhei uma viagem para Paris fechou o ano com chave de ouro. Eu me pego pensando que esse ano foi um dos melhores da minha vida. As minhas memórias têm sempre em plano de fundo, quando eu estava viajando, ou em primeiro plano, o meu namorado. É como se ele tingisse minhas memórias com a melhor cor, porque ele esteve sempre lá — em pensamento ou em pessoa, segurando minha mão e me impelindo a seguir em frente. Em retrospectiva, eu olho o quanto de coisa eu fiz, consegui e realizei. Aos olhos alheios — e em alguns momentos em que a minha esperança falha — pode parecer não ser muito. Eu ainda quero — preciso — terminar a minha história, reescrevê-la, editá-la e sabe se lá mais o que para que ela fique pronta. Esse é um dos meus maiores sonhos, provavelmente um que eu vou pedir fervorosamente hoje na virada de ano.

O ano de 2011 ainda ecoa em meus ouvidos e eu espero sempre me lembrar de cada detalhe para que eu saiba que é possível sim conseguir aquilo que você deseja. Nesta virada de ano, vou pedir que o meu 2012 seja recheado do mesmo recheio que fez 2011 inesquecível — mas vou acrescentar algumas coisas, vou tentar ser uma pessoa melhor e afastar ainda mais os medos que ainda me atormentam. Mas, acima de tudo, quando o novo ano chegar, naquele primeiro e novo minuto, aquele que segura tanta esperança em 60 segundos, eu vou agradecer. Agradecer por cada pessoa que entrou na minha vida, por cada dádiva, por toda a paz e a alegria que rodeou o meu 2011. Vou olhar para minha mãe e para meu pai e pensar: eu nunca fui tão grata pela minha vida.

11 comentários:

  1. Que ano Giu.... e você merece tudo que aconteceu contigo.


    Feliz Ano Novo, que este novo ano que se inicia seja ainda mais repleto de felicidade, realizações e regado por bons livros.

    Beijocas,
    Lariane - Leituras & Devaneios

    ResponderExcluir
  2. Ahhh que fofo!!! Gente, quase chorei lendo o post da Pam do Garota It, e agora no seu de novo!!!! OMG!!!
    FELIZ 2012 p/ vc!!!!
    BJAO

    ResponderExcluir
  3. Oi Giu!
    Este texto ficou lindo! Quanta coisa boa aconteceu com você! Meus parabéns e muito sucesso em 2012.

    ResponderExcluir
  4. ahah nem acredito que li todinho :)
    mais ficou bem legal ...e tipo, paris, londres, USA. Seu ano foi bem intenso :)

    ResponderExcluir
  5. Que lindo ano Giu,
    Vc mereceu todas as ótimas emoções pelas quais vc passou e os 'contras' só serviram pra dar um gosto ainda melhor pra tudo que vc viveu!
    Que 2012 possa ser ainda melhor. Um ano cheio de realizações pra vc Giu, fofa!

    bjs

    ResponderExcluir
  6. Nossa, Giu, que post mais lindo!
    Vou torcer contigo para que 2012 seja assim, tão bom quanto 2011 foi.
    Pra mim também está da mesma maneira. 2010 foi tão ruim (tendo melhorado apenas dia 22 de Dezembro) e 2011 foi tão bom que espero que este ano continue da mesma maneira.
    Mas adorei mesmo ler tudo o que aconteceu com você.
    Beijão e feliz ano novo!

    ResponderExcluir
  7. Que lindo, Giu!!
    Li seu texto no tumblr ontem e awn! (Sou dessas que não tem tumblr, mas vive visitando 3653931973 deles. Se eu tiver um, aí que não saio de lá mesmo! haha)
    Só posso dizer duas coisas. Primeiro, que vc merece cada coisa boa que acontece, pq vc é demais!
    E segundo, que estou louca pra poder ler uma de suas histórias! Devem ser super cativantes! E não importam se forem super simples, pq às vezes, isso é tudo de que a gente precisa! :D
    Que 2012 venha com muitas realizações, e que vc tenha muita coisa boa pra contar!
    Bj!

    ResponderExcluir
  8. Qu texto LINDO Giu.
    Realmente o ano de 2011 foi mágico e um pouco épico. Assim como você esse ano realizei vários sonhos que estavam incrustados em meu coração e que finalmente foram liberados!
    Graças á você conheci o NaNoWriMo e mesmo não dando conta do desafio, consegui escrever e desenvolver muito da minha estória, então te considero como uma madrinha minha nesse ramo! õ//
    E assim como você, também ajudei a criar um clube do livro que está se saindo melhor que a encomenda, e que já se tornou um personagem e com suas próprias características.
    Que em 2012 sejamos realmente felizes no que fazemos, e que tudo possa sair de uma forma maravilhosa. Sim, vamos tropeçar, mas é necessário para crescermos né?? Vamos nos jogar de cabeça, um novo ano começou! \õ/
    P.S.: Como assim, terminou sua estória? EU QUERO LER, é claro! hehehe

    Beijos
    WIll
    Vício de Cultura

    ResponderExcluir
  9. Oi Giu, tudo bem?
    Descobri seu blog a poucos meses e estou adorando seu trabalho! E ainda por cima descobri que somos da mesma cidade :)
    Fico feliz pelas suas realizações! Também entrei na faculdade e sei como é bom!
    Feliz 2012 e td de bom!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Oi Natalia!
    Não acredito que nós somos da mesma cidade, que legal!!
    Muito obrigada!! Adorei saber que vc gosta do blog!
    Um beijo e feliz 2012 para vc!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...