Quinta em Outra Língua: Paper Towns

{O Quinta em outra língua é um meme criado por este blog para fazer resenhas ou comentar sobre lançamentos de livros estrangeiros às quintas-feiras. Todo blog pode participar - saiba mais aqui!}

*


“That tastes like hope feels.”

Resenha:
Vou dizer, antes de tudo, que essa resenha não fez jus ao livro, à narrativa do John Green que me deixou estupefata e encantada, à história de Margo e Quentin e tudo que os dois descobriram sobre eles mesmos, sobre um e o outro, sobre as pessoas em geral. Minhas palavras não fizeram jus às palavras do John Green.

Quentin é um nerd, com dois melhores amigos também nerds, e um de seus passatempos favoritos é jogar videogame. Mas Q — como é chamado por todos — tem um paixão secreta. Ok, nem tão secreta assim... uma paixão não correspondida, ignorada. Ele considera um milagre ser vizinho de Margo Roth Spiegelman, a menina que conhece desde pequeno, a menina que tem uma vida tão diferente da sua.
“I mean she’s just doing Margo stuff. Making stories. Rocking worlds."

A paixão de Q por Margo é praticamente platônica, pelo menos no começo do livro. Q é apaixonado pela ideia que ele tem da pessoa que Margo é, porque eles perderam o contato durante os anos, e a única coisa que restou para Q foi sua imagem a distância, e de longe tudo parece melhor, maior e mais perfeito do que realmente é.

Até a noite em que ela aparece em sua janela com uma missão. Margo é cheia das missões, das aventuras, outra parte de sua vida que Q só ouviu falar. Mas aqui estava ela, lhe convidando para uma. E ele aceitou imediatamente.

Mas essa aventura foi a primeira e última. Porque na manhã seguinte, Margo havia desaparecido. Mas por que se preocupar se ela já havia feito isso antes? Dessa vez, no entanto, Q sentia que alguma estava diferente. Então começou a procurar pistas, pistas que a Margo que ele imaginava, sua Margo, possa ter deixado para ele. Porque, mesmo que ela tivesse ido embora, ela tinha dado um jeito de inclui-lo em seus planos mais uma vez, uma última vez.

A premissa da história é basicamente essa, mas a história contada nas 305 páginas desse livro é cheia de coisas fascinantes: é como abrir uma caixinha e encontrar palavras tão bem escritas, frases e pensamentos tão tão tão brilhantes, que cada capítulo me surpreendeu. É um livro tão bem pensado que no final você percebe que nada foi escrito à toa.

Margo é uma personagem que me deixou curiosa e com raiva e fascinada e intrigada durante todo o livro, porque ela é um enigma, e por muito tempo eu fui igual ao Q e a imaginei como algo inatingível. E o Quentin...  OH BOY. Que personagem. Ele pode ser ingênuo, ele pode ser nerd, ele pode ser o que for, mas ele é determinado, e ele é genuíno no que sente. Os pensamentos que ele tem.... eu não consigo nem dizer o quanto eles tiveram efeito em mim. Foi como um BAM que bateu em mim, de tanto de que eles me mudaram. Eu me identifiquei tanto com ele, e também com a Margo, apesar de ela ser enigma na maior parte da narração.

Para encontrar Margo, Q vai ter que embarcar em uma road trip (ALERTA "ROAD TRIP"!!!!) e se libertar de todas as suas ideias e tentar descobrir quem, de fato, é a Margo que ele procura.

Acho que eu parei de fazer sentido, mas são tantas coisas que eu só quero falar do conceito de Paper Towns, do tempo de vida das pessoas, da grama, das cordas, dos balões, do poema de Whitman, do quanto eu amei amei amei esse livro, do quanto ele é diferente de tudo que eu já li, do quanto ele é INTELIGENTE, do quanto ele é triste, mas ao mesmo tempo esperançoso; que no final, apesar de você querer que não fosse aquele final, você simplesmente aceita, porque ele é verdadeiro. E bonito!

Eu queria muito falar do quanto esse livro mexeu comigo, mas VOCÊS. TÊM. QUE. LER. PARA. ENTENDER. Apenas leia. E depois vem conversar comigo sobre como John Green é um gênio. :)

"I imagine it is hard to go back once you've felt the continents in your palm."

5/5 - 

Skoob: adicione.

Sobre o autor: você não conhece o John Green?! Sua vida está prestes a mudar! Ele é um youtuber, junto com seu irmão, no canal VlogBrothers, um dos criadores da Nerdfighteria — uma comunidade feita de awesome —, autor de vários livros, o mais famoso "Quem É Você Alaska?", que ganhou o prêmio Printz 2006. E ele foi um daqueles autores que eu idolatrei bem antes de ter um único livro!

DFTBA! :)

22 comentários:

  1. fiquei mais animada pra começar a ler o meu haha
    =)

    ResponderExcluir
  2. Quero muito ler os livros deste cara! Ler esta resenha me deixou doida pra ler o livro, pena que que as coisas demoram séculos para chegarem no Brasil.

    ResponderExcluir
  3. Já vem você com mais um livro em inglês, e eu mais uma vez me lamentando aqui. Acho que já virou vício né? UASuhas
    Quero TANTO ler algum livro dele, ainda bem que aqui no Brasil já tem o "Quem é você Alaska?" mas e o dinheiro para comprar hen? UHAs
    Adorei, adorei e adorei a resenha!

    Beijo
    Will
    Vício de Cultura

    ResponderExcluir
  4. Meu Deus, Giu (posso te chamar assim? hihi), sua resenha me fez tipo, surgir uma vontade louca de ler o livro, mesmo que o meu inglês seja péssimo!
    Sério, não vou sossegar enquanto não o tiver *indo pesquisar o preço*...
    Amei, amei, amei a proposta do livro, e o que você escreveu sobre ele.
    Se não fez jus, como mencionou, chegou bem perto, ehn?

    Amei - sem mais.
    Beijinhos,
    Mell Ferraz - Croissant Parisiense

    ResponderExcluir
  5. Oi Giu!
    Já li Quem é você Alasca?,e tenho que dizer que o livro é maravilhoso.Esse autor parece se incrivel e gostei muito da sua resenha.
    Fiquei curiosa e espero que esse livro saia logo no Brasil pra que eu possa lê-lo.
    Bjss

    ResponderExcluir
  6. AIn...
    Jihn sempre despertando amores....
    Caramba, sua resenha me deixou mega curiosa... E eu ja to com Katherine e Alaska na fila... Vou ter que ler todos...
    Acho que a Margo deve ser legal... e Road Trip! Katherin tb tem... Sabe que ainda nem li nada assim?

    bjs
    hey Evellyn!

    ResponderExcluir
  7. Você conseguiu falar bem o que eu penso do livro (apesar de achar que quem não leu não vai entender). Faz uns mil anos que eu li, mas sempre consigo lembrar de toda essa coisa que o livro traz. E engraçado que eu comprei muito sem querer, por pura pressão do "agora ou nunca". A amazon me indicou eu coloquei no carrinho, não tinha lido nem a sinopse. HUAHA foi uma surpresa o que eu encontrei.
    li a sua resenha no "é disso que eu to falando!". vou mostrar pra todo mundo (?) HUAHUAH

    ResponderExcluir
  8. HAHA muito bacana a resenha e a coluna, eu conheço poucos livros estrangeiros, só os típicos mesmo, que são lançados aqui ! adorei!
    Beijão, Caah ♥

    @sonhospontinhos
    www.sonhosentrepontinhos.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Giu,
    Bom, eu já estou convencida de que John Green é um dos autores que eu preciso ler! Sempre que vejo resenhas de livros dele são sempre tão empolgadas...
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Ok, agora eu quero esse livro! Adorei a capa e pela sua resenha ele parece ser bom demaaais!
    Também quero muito ler "Quem é você, Alasca?" *-*

    Beijos, Bi
    http://behindenemyline8.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Mais uma daquelas típicas resenhas suas que me deixam morrendo de vontade de começar a comprar no Book Depository. Não sei como estou me segurando ainda, rs.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  12. Ei Giu,

    Aff vc sempre me deixa louca por estes livros que não tem aqui, quero saber o que aconteceu com a menina e agora? rsrs

    bjos

    ResponderExcluir
  13. Você me conquistou com a resenha! Quero muito ler esse livro e sabia que o escritor não me era estranho. :) Também quero ler "Quem É Você Alaska?". Eu ri quando você colocou em capslock o road trip! HAUAHUA. Imagina um super nerd co uma paixão secreta indo atrás da sua amda desaparecida? Que lindo!
    Simplesmente me encantei com a sua resenha! Ela está ótima!
    Beijos ;*

    Ana Carolina
    http://loucospor-livros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Nossa, a sua empolgação me contagiou! rs
    Nada como um ótimo livro que nos coloca pra pensar e ainda consegue mudar um pouco nossa vida né?

    Agora estou com muita vontade de ler!

    Beijosss

    Lana
    Hunters Culture

    ResponderExcluir
  15. Nunca ouvi falar nesse livro, mas sua resenha me fez querer ler ele tipo AGORA hehe
    E ainda fiquei super curiosa com esse final.
    Bjo

    ResponderExcluir
  16. Oi Giu essa Margo deve ter algum parentesco com Alaska, cheia de mistérios, problemas, um completo enigma.

    Gostei muito de Quem é você Alaska? e gostaria que outros livros dele fossem lançados no Brasil, adoraria lê-los.

    Beijos, Caline
    Mundo de Papel

    ResponderExcluir
  17. Ah, mas uma John Green fangirl... eu só li um conto dele até agora e achei normal haha

    ResponderExcluir
  18. Oi Giu,

    vou te falar que esse livro me decepcionou pacas... talvez porque ninguém nunca irá superar Alaska para mim nem mesmo o John. Mas a Margo me irritou profundamente, mas é legal. Não me mudou como Alaska, mas eu amei a road trip.

    ResponderExcluir
  19. "você não conhece o John Green?! Sua vida está prestes a mudar"

    JURO que quando li isso pensei em 'TECPIX 4 EM 1 DA TECNOMANIA, sua vida está prestes à mudar...' asuhaushahs

    ResponderExcluir
  20. Giu, é humanamente impossível ler essa resenha e não sair desesperado pra comprar Paper Towns. As suas resenhas são tão contagiantes e apaixonadas!
    Dos livros que eu li por indicações suas e resenhas do blog TODOS ficaram entre os meus favoritos. Amei todos e espero que Paper Towns não fuja a essa regra.
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  21. Pela tua resenha já gosto do livro antes mesmo de ler! haha

    ResponderExcluir
  22. Giu, gostaria de saber se o nivel deste livro é facil?

    Bjos

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...